top of page
Buscar

Precisamos falar sobre o Setembro Amarelo


Desde 2015, o mês de setembro ganhou um importante adjetivo e uma importante causa para defender, denominado de Setembro Amarelo, este mês ganhou a importante missão de tratar da prevenção do suicídio, uma vez que no dia 10 de setembro é considerado o dia mundial de prevenção do suicídio.


Este mês é marcado por uma série de eventos destinados à discussão sobre o tema, afinal, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 32 pessoas se suicidam por dia no Brasil, superando o índice de mortes diárias de doenças como a AIDS e o câncer, denotando uma triste realidade. 96,8% dos casos de tentativa e do próprio suicídio tem relação com transtornos mentais. Entre as principais doenças relacionadas está a depressão, seguida do transtorno bipolar e do abuso de substâncias.


A origem do Setembro Amarelo e de todas as discussões pertinentes a esse período em relação ao suicídio, começou com a história de Mike Emme, nos Estados Unidos. Um rapaz jovem, carinhoso, conhecido por suas habilidades mecânicas e por seu Mustang 68 amarelo, restaurado pelo próprio jovem, em 1994 cometeu suicídio, tirando a sua própria vida aos 17 anos. Infelizmente, nem a família nem os amigos perceberam os sinais.


No seu funeral, os amigos e familiares montaram uma cesta de cartões e fitas amarelas com frases incentivando o pedido de ajuda aos que se encontravam na mesma situação que Mike. Essa ação ganhou grandes proporções e se espalhou por todo o país e diversos jovens passaram a utilizar cartões amarelos para pedir ajuda a pessoas próximas. A fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscarem ajuda.


No ano de 2003, a OMS instituiu o dia 10 de setembro como o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio. A escolha do amarelo é devido a cor do carro de Mike.


É importante ressaltar que a tentativa de suicídio não escolhe faixa etária, gênero ou classe social, mas é preciso ficar de olho em alguns fatores que podem ampliar o risco.


O primeiro fator que é necessário um olhar especial é referente às pessoas que apresentam transtornos psiquiátricos, especialmente a depressão, o transtorno alimentar, a ansiedade e a esquizofrenia. Os casos relacionados ao abuso de drogas e bebidas alcoólicas também merecem atenção.


Há estudos que também tratam dessas tentativas de suicídio em pessoas acima de 65 anos, pois os idosos tendem a sofrer com a solidão, com o sentimento de incapacidade e a falta de perspectiva.


Além desses fatores, os problemas financeiros também podem ser impulsionadores para as tentativas de suicídio.


Se você está passando por um momento difícil e está percebendo que não está conseguindo lidar com isso, procure ajuda, não sofra sozinho com essas aflições. Lembre-se de que o apoio profissional pode ser muito importante para superar uma fase difícil ou receber o diagnóstico correto para um tratamento efetivo. Por mais complicada que seja a situação, há sempre uma saída.


Psicólogos e psiquiatras são profissionais que podem ajudar. O psicólogo poderá auxiliar você a lidar com as angústias e desenvolver ferramentas para superá-las. Enquanto o psiquiatra pode indicar o tratamento medicamentoso para combater os sintomas depressivos.


Além disso, há o suporte do Centro de Valorização da Vida (CVV) que tem o objetivo de oferecer suporte emocional e realizar a prevenção do suicídio. A organização é reconhecida como Utilidade Pública Federal desde a década de 1970.


Os voluntários ficam à disposição 24 horas para oferecer atendimento pelo telefone 188 ou pelo chat on-line no site. O atendimento é anônimo e sigiloso.


Se precisar, não hesite, busque ajuda.


Curtiu a postagem? Ajude-nos a criar nosso conteúdo, dando dicas de assuntos que você quer ver por aqui pelo e-mail: contato@institutofenix.com ou pelo número 27 98856-3044

Link do whatsapp: https://api.whatsapp.com/send?1=pt_BR&phone=5527988563044&text=Sugest%C3%A3o%20de%20pauta%20para%20o%20Blog


bottom of page