SER FÊNIX

O fogo brilha. As chamas são capazes de devorar e transformar. O fogo traz a Destruição e a criação ao mesmo tempo. É um elemento de purificação, transformação e mudança. O fogo é intenso e sempre faz nascer algo novo e diferente.
MUDAR - CRESCER - CRIAR - EVOLUIR

É possível RENASCER E SE REINVENTAR muitas vezes? Nós do Instituto Fênix acreditamos que sim. Buscamos sempre ampliar os horizontes, aprendendo novos conhecimentos e mudando sempre para melhor. Temos a CRIATIVIDADE como combustível de nossas ações que visam sempre à transformação do ser.

Nossa chama é a PAIXÃO pelo ser humano, fogo ardente que não cessa. Sendo assim, HUMANIZAÇÃO aqui não é só uma palavra, mas nossa razão de existir.
BELEZA - PERSISTÊNCIA - ESPERANÇA - RENASCIMENTO

Cada um dos cursos e serviços, oferecidos por nós, carrega a marca do FOGO TRANSFORMADOR. O mito da Fênix nos representa em vários aspectos. Para quem não conhece este belo animal mitológico, que dá nome ao nosso instituto é só conferir o link no fim da página.
São 14 anos... renovando a plumagem, fortalecendo as asas e alçando belos vôos.


VÁRIOS RENASCIMENTOS E UM SÓ CORAÇÃO


"Pra mim o Fênix é tudo. Me traz paz, alegria e eu agradeço a todos que me fazem feliz com palavras de carinho e amizade. Zilmar Gomes Fideles - Colaboradora desde a fundação



"O Instituto Fênix é a comprovação de que as diversas abordagens terapeuticas, mantidas as especificidades, podem conviver juntas quando unidas pelo amor, a solidariedade e acima de tudo o compromisso com a vida’’. Francisco Barros Goulart - Professor de Biodanza no Fênix desde a fundação.


"O Fênix é um lugar de acolhimento e autoconhecimento. Um lugar onde nos sentimos seguros para liberar as nossas emoções’’. Terezinha Fanti - Aluna da Pós em Psicologia Junguiana 




"Ser Fênix é despertar seu poder interior. Ser Fênix é a liberdade de voar alto e criar a realidade que deseja. Ser Fênix é escolher ser quem você é’’. Lívia Vicentini- Terapeuta do Núcleo de Atendimento Fênix



"Ser fênix pra mim é ousadia de me reinventar todos os dias!’’ Glícia Manso- Coordenação Geral e Fundadora



"Ser Fênix é ser livre para me autoconhecer e viver em mais harmonia com meu próximo! Sinto uma enorme gratidão por ter encontrado um espaço acolhedor e de transformação!’’ Patrícia Rigoni - Aluna 



"O Fênix mudou o curso da minha história. Sou Fênix de corpo, alma e coração.’’ Alinne Manso - Diretora



CRIATIVIDADE E TRANSFORMAÇÃO COM CRIATIVIDADE

Aqui o slogan é: o lugar onde os criativos se encontram. Isso não é por acaso. Cada um dos profissionais que atuam no Fênix, seja como professor, seja como terapeuta. Cada membro do staff administrativo, assim como as empresas que estabelecemos relações em parcerias, todos possuem um traço comum – a vontade de fazer diferente. O espírito criativo rege a nossa instituição, em todos os níveis.

Para nós CRIAR É UM ATO LUMINOSO. A CRIATIVIDADE TRÁS EM SI UMA TRANSFORMAÇÃO. Mas criatividade sem coração aqui não faz morada. Ou seja, a cada passo criativo há a estrada do AFETO a nortear a condução dos nossos trabalhos, junto aos nossos alunos e a todos com quem temos o prazer e a oportunidade de interagir.
MAS AFINAL, O QUE É SER FÊNIX?

Ser fênix é ser responsável, ético e comprometido com um serviço de excelência no campo educacional, artístico e de desenvolvimento humano. Ser fênix é ser apaixonado pelo que faz e sempre buscar novos conhecimentos, objetivos e sonhos. Ser fênix é aprender que todo dia é dia de renascer, abrir as asas e voar em direção as suas realizações. Ser Fênix é aceitar o convite do fogo transformador e dançar com ele na pista da vida e viver plenamente sem medo de ser quem se é ou quem queremos ser. Vem ser Fênix!
VIAJANDO NAS ASAS DO TEMPO... A HISTÓRIA DO INSTITUTO

Inciamos nossa história em agosto de 2004 em Manguinhos, Serra, com o curso de Formação Livre em Arteterapia. Logo em 2006 conseguimos reconhecer o primeiro curso de Pós Graduação em Arteterapia lato sensu, reconhecido pelo MEC, no Espírito Santo. Finalmente, em 20​09, mudamos para Vitória. Várias foram às salas alugadas, em diversos locais, para as aulas de Arteterapia. Nessa época começamos a diversificar o leque de cursos, realizando o primeiro curso, de Psicopatologia, da instituição, além de muitos outros. Porém, o grande salto foi em 2011, quando adquirimos nossa sede própria, no Centro Histórico de Vitória onde pudemos preparar um ambiente acolhedor que exprimisse nosso jeito de pensar e lidar com nossos alunos, parceiros, professores e equipe. Daí por diante, as asas só cresceram. Com o ninho já formado, muitos anos de aprendizado, na bagagem, e criatividade de sobra, começamos a diversificar e ampliar a oferta de cursos, terapias e projetos sociais que sempre foram um dos nossos compromissos com a sociedade. Hoje são mais de 50 atividades diferentes, entre cursos, pós graduações, práticas, eventos e projetos. Em 2017 ampliamos nossa sede e hoje faz parte do nosso espaço um belo e equipado ateliê exclusivamente para as práticas artísticas em várias modalidades.
Além disso, como o compromisso, desde o início de sua fundação, foi com a transformação do ser, o Fênix possui um núcleo de atendimento terapêutico com diversas práticas na área de saúde. Mas, se alguém pensa que o instituto vai parar por aí, pode esquecer! Faz parte do espírito da nossa organização se reinventar sempre, afinal somos Fênix! Uma Instituição de Ensino Capixaba orgulhosamente dirigida por mulheres.
Fênix antes - 1997
Fênix depois - 2018
MITO DA FÊNIX: O QUE VEM A SER ESTE ANIMAL MITOLÓGICO?

No Egito Antigo, muitos anos antes de Cristo, surgiu o mito da fênix. Tratava-se de uma ave maior que a águia, cujas penas poderiam variar entre as cores azuis, roxas, douradas, brancas e vermelhas. Muitas pesquisas foram realizadas sobre a fênix, mas não se chegou a um consenso sobre quanto tempo duraria sua vida: alguns garantem que ela viveria mais de 90 mil anos, enquanto outros estimam que sua vida durasse em torno de 500 anos.
VERSÕES SOBRE O MITO

Reza a lenda que, ao falecer, a fênix era devorada por chamas, e delas ressurgiria uma nova fênix, que conduziria as cinzas de seu progenitor para o altar do deus solar, que ficava na cidade egípcia Heliópolis. Outras versões contam que, ao aproximar-se do fim de seu ciclo de vida, sentindo a proximidade da morte, a ave preparava uma fogueira funerária com ramos de mirra, canela e sálvia, e se auto incendiava espontaneamente, como numa espécie de suicídio. Ainda existem outras narrativas, como a que afirma que, ao aproximar-se da morte, a fênix partia para Heliópolis e aterrissava no altar solar, para então ser consumida pelo fogo. Algum tempo depois ela retornaria a vida. Outra interessante versão era a de que a fênix nada mais fosse do que um símbolo do próprio Sol, que morria incendiado ao final de cada tarde, para renascer dentre as chamas na manhã seguinte. Dentro desse ínterim, os russos a conheciam como Pássaro de Fogo, por acreditar que ela estava constantemente em chamas. 
CURIOSIDADES & SIMBOLOGIA

Relata-se com a fênix possuía um canto muito doce e suave, que ganhava tons de grande melancolia e tristeza quando ela sentia a proximidade de seu fim. Tamanha tristeza e melancolia transmitidas em seu canto tinham a capacidade de influenciar outros animais, levando-os até mesmo à morte. Acreditava-se, ainda, que a cinzas da fênix tinham o poder de ressuscitar alguém que já tivesse falecido.
Para muitos, a fênix simboliza a imortalidade, os ciclos naturais de vida e morte, o renascimento e, até mesmo, a existência de uma vida pós mortem. Era tida como um símbolo de persistência, de transformação, de recomeço e, principalmente, de esperança, como se fosse uma vitória da vida sobre a morte. Acreditava-se – e ainda acredita-se em algumas culturas – que a fênix possuía uma força sobrenatural, permitindo-lhe carregar fardos excessivamente pesados, como até mesmo um elefante. Apesar dos diversos estudos já realizados, não foram concluídas teses sobre a fênix, e seu mito acabou se difundindo não apenas no Egito, mas também na Grécia e posteriormente em muitos outros países e culturas que a adotaram e a passam a diante.

FONTE: https://www.estudopratico.com.br/o-mito-da-fenix/